Advogado desmascara acusação contra Professor Luizinho

O advogado Pierpaolo Cruz Bottini apresentou, hoje (14/8), a defesa do ex-deputado federal Professor Luizinho (PT), no STF. Luizinho era à época do episódio do mensalão líder do governo na Câmara dos Deputados e foi acusado de receber R$ 20 mil, como de lavagem de dinheiro. Das 128 páginas da denúncia, apenas quatro parágrafos tratam do seu cliente, afirmou o advogado.

Como é de conhecimento, o dinheiro foi sacado com assinatura de recibo de retirada em uma agência do Banco Rural, localizado na avenida Paulista, centro de São Paulo, por um ex-assessor para pagar material de campanha. “Se isso é uma lavagem de dinheiro, trata-se da lavagem de dinheiro mais solene, transparente da história da lavagem de dinheiro”, afirmou o advogado do Professor Luizinho, no STF.

De acordo com o dr. Pierpaolo Cruz, o ex-assessor, José Nilson dos Santos, que fez o saque, tinha autonomia e atividade partidária independente e gozava de uma relação de amizade e intimidade com Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT. O advogado afirmou ainda que houve “inépcia” da Procuradoria Geral da República para provar a origem “dos famigerados R$ 20 mil”.

A defesa argumentou que deveria haver nexo entre a origem do dinheiro e a lavagem de dinheiro. “Esse nexo não está demonstrado, e o próprio antecedente também não está demonstrado”. Por fim, a ausência do ex-assessor na denúncia “não foi por um lapso” do procurador-geral, mas ocorreu “por ausência de elementos que comprovassem o crime”, criticou o seu advogado.

Ex-líder do governo Lula na Câmara, professor Luizinho foi absolvido no processo de cassação do mandato, em 2005. “Ser líder do governo não é indicio da prática de crime. […] Não há nenhuma prova da participação dele e quem diz isso não é só a defesa, mas a Câmara quando absolveu o professor Luizinho na esfera política”, afirmou.

Ao finalizar a defesa do Professor Luizinho, o advogado lembrou à Suprema Corte que “a política é fundamental para o exercício da democracia. O fato de ser político não é crime. Infelizmente, o que vimos com relação ao Professor Luizinho foi execração pública de sua história de lutas iniciadas aqui no ABC”, disse.

O Professor Luizinho foi um dos fundadores do PT em 1980. Foi também integrante da Comissão Executiva Estadual do PT (1992-1993), líder do partido na Assembléia Legislativa de São Paulo (1992-1993), Primeira Secretário da Assembleia Legislativa de São Paulo (1995-1997), vice-líder no Congresso Nacional (1999-2003), vice-líder do governo no Congresso Nacional (2003-2004) e líder do governo no Congresso Nacional, desde então.

Sua atividade política, sempre pelo PT, começou ao eleger-se vereador em Santo André (1989-1991), depois deputado estadual (1991 a 1999), e, finalmente, deputado federal (de 1999 a 2007).
Ao contrário do que tentaram imputar ao PT, como organização criminosa, o Partido dos Trabalhadores, fundado em 1980, é um dos maiores e mais importantes partidos políticos de esquerda da América do Sul.

Toda nossa solidariedade companheiro Luizinho.

Alan Ferreira
Militante do PT em Santo André


Deixe uma resposta